sexta-feira, 27 de julho de 2007

( - Terra sem males - )

Esse texto não tem nada a ver com a história do Carne Humana, mas com um outro projeto de um amigo meu e eu:


- No ano de dois mil e dois conheci uma criatura que julgava não ser criação desta existência chamada Daniel Xavier B. (não escrevi o raio do nome todo porque não sei alemão, dane-se!).

Visionário particular, singularmente cativante. Havia sonhos que não deixavam descansar sua inquieta mente. Ao passo que em alguns meses reconheci semelhanças de mim mesmo, como um reflexo no lago, proveniente da convivência diária com Daniel Xavier.

E, num dado momento, devido a essa convivência, submisso aos devaneios coerentes do caos, decidimos em uníssono tornar mais que palpáveis nossos sonhos, compartilhá-los, torná-los parte da formação de sua alma, amado leitor.

Em breve revelarei os segredos que guardamos, leitor, eu prometo... -



x x x




O Professor parte 1

Todos os dias o café na garrafa térmica estava frio: ele iria se atrasar. Sua ressaca era apenas um detalhe daquela sensação de ter abusado depois do ultimo tempo no Educandário Marques Salles...Iria pegar trânsito, mentir para o coordenador, e dar o fabuloso teste surpresa com uma única questão sobre todo conteúdo dado no semestre. Mas e daí? Seus alunos do Santa Elena eram filhinhos de papai...Foda-se a grana dos coroas deputados...





O Professor parte 2


Nossa! Que dia! Os olhos ardiam e a cabeça com seus trezentos e graciosos quilos estava sendo cruelmente atraída pela gravidade, naquela linda manhã cinzenta e carioca. Sua roupa amarrotada e a barba por fazer eram resquícios subjacentes do ritual quotidiano de exorcismo das perniciosas causalidades que se acumulavam em sua vida. Um protesto estampado desde os tempos de calouro contra a estética vigente e a quem ela se sujeitava, porque tinha raiva da complacência civil e asco da conjuntura desfigurada e estéril que se apresentava. Tinha medo de ser engolido por sua pátria em crise de identidade e às vezes sentia uma necessidade de participar da confecção das redes trabalhadas de mentira e intriga, e posteriormente sabota-las em nome de suas ideologias.





O Professor parte 3

No âmbito material de sua existência ele flertava com algo supremo. Abstrato e profundo. Ainda era muito recente para explicar o que isso significava em si mesmo. Um novo tipo de vaidade norteava seus pensamentos... Mas primeiro ia dar descarga antes de sair para trabalhar...

3 comentários:

Liane disse...

Oi! Começou com estilo diferente meio introspectivo, interessante. Só uma coisa o cara tem 300kg e anda, vc pegou pesado. Pelo menos isso te permite colocar nele pelo menos umas 40 doenças diferentes (risos). Continua a história Bjs

Vanessa disse...

nossa!quanta coisa ja aconteceu por aqui!!fiquei ate meio perdida..mas ja me achei...
o texto continua muito bom!
bjs

Peri disse...

Estou vendo que quando o livro sair, vou ver você como primeira na fila de autógrafos...^^