terça-feira, 26 de junho de 2007

3º Corte ( - Não havia nada, - )

nenhuma luz que pudesse deixar visível o rosto de Áhlima dentro daquela escuridão. Mesmo sua pele pálida, quase fluorescente, não podia se definir naquele breu.
Ela não via, apenas sentia a pele macia de seu irmãozinho pulsando entre seus dedos.
x x x
Ia desenhar uma linha vermelha com a faca no pescoço, quando, de repente, escutou os passos de sua mãe apertarem o assoalho lá fora.
Plá.PláPlá.
Sob seus pés, Áhlima podia sentir a vibração do choque de tamancos.
"Mas que merda!", pensou.
Sua mãe parecia estar vindo na direção da porta do quarto. Exatamente como os tremores no chão indicavam.
"Eu tô ferrada!"
Um breve instante. A respiração de Áhlima tornou-se ainda mais pesada. Quase não agüentou o denso ar atravessando sua garganta.
Cinco segundos.
A maçaneta ruidosamente girou. E a porta se abriu.

5 comentários:

vanessa disse...

fala..o blog continua show..qnd postar de novo me avisa..
o conto da ficando foda!
bjuL

Peri disse...

valeu vanessa, fico lisongeadíssimo com o elogio. mas se não gostar de algo, imediatamente me avise: seus comentários são importantes para este humilde servo.

Bruno disse...

Tá Ficando Foda,e quando acaba
um dá vontade de ter outro pra ler
logo.
Só que como eu ao contrário do PEri sou macho,me satisfaço com umas prostituas aqui do meu lado.
(Ps eu sou o chefe delas)
E esqueço essa porra de internet
que só viados como o PEri postam coisas cultas..pff contos,literatua coisa de viado.

Peri disse...

agora vou tomar um ruma mais louco para as coisas... vai parecer que está tudo bem, mas, quando você notar, o ácido já vai ter corroído metade do seu t´rax e será tarde demais...

Policarpe Di Emili disse...

A suspense está deixando a história interessante....Continuarei a acompanhar. Mas lembre-se que quanto maior a suspense, maior é a expectativa em torno do final...isso pode exigir muito de vc. Sou tou dando uma opinião, eu não sou porra nenhuma não viu?....rsrsrs.
abraços